Docentes

Mariangela Rios de Oliveira (UFF)

Título: Afixóides de base espacial em construções gramaticais do português: neoanálise e analogização

Descrição: Este projeto dá sequência a uma série de estudos sobre pronomes locativos do português, produzidos no contexto do Grupo de Estudos Discurso & Gramática ? UFF. Voltamo-nos agora para o levantamento, a descrição e a análise interpretativa dos afixóides espaciais, circunscritos no contexto do presente projeto aos pronomes locativos mais usados no português do Brasil (aqui, aí, ali, lá, cá), na formação de duas construções gramaticais – [VLoc]md e [para lá de X]gi. A partir de pesquisa empírica histórica, o intento é captar neoanálises sucessivas, ou micropassos, que derivaram na esquematização desses pareamentos, em termos de construcionalização gramatical, com base na taxonomia de Diewald (2002; 2006) e Diewald e Smirnova (2012), que distinguem o seguinte cline contextual: contextos típicos (originais), atípicos ou críticos (transitórios, emergentes) e de isolamento (convencionalizados, gramaticalizados), culminando com a paradigmatização, ou seja, com a inserção da nova construção em categoria gramatical específica, como novo nó na rede construcional da língua. Esse cline tem a ver ainda com a derivação objetividade > subjetividade > intersubjetividade, conforme proposto em Traugott e Dasher (2005). No que concerne aos procedimentos de pesquisa, este projeto compatibiliza metodologia qualitativa e quantitativa, focalizando tanto os ambientes pragmático-discursivos motivadores da mudança gramatical em que as construções em estudo são instanciadas, quanto as propriedades de sentido e forma de suas subpartes, notadamente os afixóides espaciais, na instauração do elo de correspondência simbólica interno às mesmas (CROFT, 2001), além de se ater a índices de frequência (BYBEE, 2010; 2015), atestadores ou não da produtividade das referidas construções. Como a pesquisa assume viés histórico, os textos selecionados privilegiam a modalidade escrita da língua, procurando controlar os dados, nas distintas sincronias pesquisadas, em termos da sequência textual em que são articulados, de acordo com Bonini (2005) e Marcuschi (2002; 2008). De outra parte, textos falados da fase contemporânea do português também poderão ser usados, principalmente no caso de mudanças mais recentes ou inovadoras na língua, não atestadas em documentos antigos, como hipotetizamos ser o caso de [para lá de X]gi..

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (4) .

Integrantes: Mariangela Rios de Oliveira – Coordenador / Flávia Saboya da Luz Rosa – Integrante / Vanessa Barbosa de Paula – Integrante / Vânia Rosana Sambrana – Integrante / Luiz Pedro da Silva Barbosa – Integrante / Cristian Matias do Nascimento Correa – Integrante/ Monique Borges.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa. 


Monclar Guimarães Lopes (UFF)

Título: Transitivização de verbos inacusativos sob perspectiva da LFCU

Descrição: Este projeto de pesquisa visa à descrição do processo de transitivização de verbos inacusativos que instanciam a macroconstrução V.COM através da perspectiva da Linguística Funcional Centrada no Uso, sobretudo no que tange à Teoria da Construcionalização, de Traugott & Trousdale (2013). Para tal, esta pesquisa recorre a dados diacrônicos e sincrônicos e faz uso de metodologia de base tanto quantitativa quanto qualitativa. Assume-se que a macroconstrução V.COM represente um caso de construcionalização lexical, em que verbo e preposição encontram-se mais integrados e passam a representar uma Forma(nova)-Sentido(novo), na medida em que apresentam tanto mudança semântica quanto morfossintática.

Alunos envolvidos: Graduação (1).Integrantes: Monclar Guimarães Lopes (coordenador); Leonardo do Carmo Maia.

Título: Relações coesivas e semânticas das construções conectoras [PREP ISSO]conect à luz da Linguística Funcional Centrada no Uso

Descrição: Este projeto tem como objetivo investigar as propriedades coesivas das construções conectoras de padrão [PREP ISSO]conect e sua gradiência semântica a partir de ocorrências reais de uso. Conforme atestam os dados previamente analisados, construções desse tipo – como [POR ISSO], [COM ISSO], [SOBRE ISSO], [PARA ISSO], por exemplo – podem ser empregadas como recursos coesivos quando fazem referência a unidades (supra)oracionais, como orações, períodos e, inclusive, parágrafos. Para fundamentar a análise, empregamos os pressupostos teóricos da Linguística Funcional Centrada no Uso (OLIVEIRA e ROSÁRIO, 2016; FURTADO DA CUNHA, BISPO e SILVA, 2013; BYBEE, 2016; TRAUGOTT e TROUSDALE, 2013; entre outros), em diálogo com os estudos de coesão de outras abordagens funcionalistas (HALLIDAY, 1985; HALLIDAY e MATTHIESSEN, 2014) e da Linguística Textual (FÁVERO, 2004; KOCH, 2003). Inicialmente, como análise amostral, procedemos à investigação de 100 ocorrências da construção [POR ISSO], todas extraídas do Corpus Now, do site O Corpus do Português (www.corpusdoportugues.org). Os resultados preliminares têm-nos mostrado que [POR ISSO]conect estabelece uma relação coesiva híbrida, isto é, tanto referencial quanto sequencial, na medida em que os elementos dessa construção complexa operam duas funções distintas: 1) o pronome demonstrativo isso encapsula conteúdo referencial expresso em porções anteriores do cotexto; 2) a preposição por promove a progressão textual por meio do estabelecimento de relações hipotáticas, que, muitas vezes, extrapolam o escopo do período. Sobre esse último aspecto, cabe ressaltar que, para além da relação entre orações de um mesmo período, a construção [POR ISSO]conect é empregada para estabelecer relações entre porções maiores de texto, como entre diferentes períodos e parágrafos (sendo comum, por exemplo, que o conteúdo a que faz remissão esteja expresso em duas ou mais orações). Paralelamente, os resultados têm apresentado uma vasta gradiência semântica. Além das relações de conclusão, consequência e resumo, recentemente descritas por Marques e Pezatti (2015), os dados analisados têm-nos apresentado alguns outros valores, como resolução, suposição e esclarecimento, por exemplo. Como resultado dessa pesquisa, esperamos mapear a rede das construções [PREP ISSO]conect, empregando procedimentos análogos àqueles que temos utilizado para a descrição da construção [POR ISSO]conect.

Alunos envolvidos: Graduação (1)

Integrantes: Monclar Guimarães Lopes (coordenador); Mara Cristina Machado Ladeira Martins; Simone Josefa da Silva  


 Ivo da Costa do Rosário (UFF)

Título: Construções correlatas oracionais e não oracionais no português padrão: uma visão funcional centrada no uso.

Descrição: Este projeto de pesquisa tem como objetivo descrever e analisar construções correlatas oracionais e não oracionais atestadas no uso corrente da língua portuguesa escrita padrão, à luz da Linguística Funcional Centrada no Uso (cf. FURTADO DA CUNHA; BISPO; SILVA, 2013; ROSÁRIO; OLIVEIRA, 2016). A correlação caracteriza-se como uma ?construção sintática prototipicamente composta por duas partes interdependentes e relacionadas entre si, encabeçadas por correlatores, de tal sorte que a enunciação de uma (prótase) prepara a enunciação de outra (apódose)? (ROSÁRIO, 2012, p. 3). Dentre as construções correlatas destacam-se as aditivas, as alternativas, as consecutivas, as proporcionais, as substitutivas e as comparativas. A metodologia de pesquisa prevê um estudo sob o viés tanto quantitativo quanto qualitativo, com ênfase nesta última modalidade. Assume-se a hipótese de que a correlação é um processo multifacetado, com características morfossintáticas e semântico-pragmáticas diversas. Esse é um dos motivos para caracterizá-lo como distinto dos processos canônicos de coordenação e da subordinação (cf. RODRIGUES, 2007; ROSÁRIO, 2016; no prelo). O presente projeto de pesquisa dá continuidade a empreendimento anterior que teve como foco o estudo da correlação aditiva nos séculos XIX, XX e XXI.

Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (7) / Doutorado: (2) .

 Integrantes: Ivo da Costa do Rosário – Coordenador / Thais Pedretti Lofeudo Marinho Fernandes – Integrante / Brenda da Silva Souza – Integrante / Elen da Paixão Garin Borges – Integrante / Fabiana Félix Duarte Moreira – Integrante / Idrissa Ribeiro Novo – Integrante / Jaqueline Cristina Rocha Marcondes – Integrante / Jovana Maurício Acosta – Integrante / Marianna Correa Siqueira do Nascimento – Integrante / Myllena Paiva Pinto – Integrante / Nice da Silva Ramos – Integrante / Samara Costa Moura – Integrante. 


Marcos Luiz Wiedemer (UERJ)

Título: Agora, virei um Marcado Discursivo: polifuncionalidade do elemento agora em textos jornalísticos

Descrição: Fundamentado em descrição pancrônica, o presente projeto tem objetivo analisar a polifuncionalidade do desenvolvimento da construção ?agora?, no português brasileiro escrito. O aparato teórico-metodológico é a Linguística Centrada no Uso na qual combinamos as vertentes funcionalistas e cognitivistas da linguagem e das línguas. Os corpora que compõem o trabalho abarcam os jornais e folhetins que circulavam na cidade do Rio de Janeiro, a partir do século XIX, disponíveis no catálogo da Biblioteca Nacional. Palavras-chave: Construcionalização. Língua Portuguesa. Advérbios. Marcadores Discursivos.. Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Marcos Luiz Wiedemer – Coordenador / Danielle dos Santos Cleres – Integrante. 

Título: Esquematicidade das preposições no português brasileiro: uma análise funcional centrada no uso

Descrição: O presente projeto parte do pressuposto de uma análise alicerçada na Linguística Centrada no Uso na qual combinamos as vertentes funcionalistas e cognitivistas da linguagem e das línguas, em que admitimos a fluidez das classes de palavras (conforme, NEVES, 2011), e examinamos o uso de algumas construções prepositivas da língua portuguesa. Para tal, descrevemos a partir dos resultados empreendidos por Wiedemer (2013, 2015) algumas construções de frases preposicionais do português brasileiro, que permitem-nos desenvolver um quadro de vários tipos de usos de preposições, a partir de diferentes graus de esquematicidade, conforme previsto pelo modelo da construcionalização (TROUSDALE; TRAUGOTT, 2013). Baseados nos estudos de Hoffmann (2007), veremos que a dicotomia complemento-adjunto que são tratadas as preposições, podem ser facilmente observadas como graus de esquematicidade. Assim, o modelo da construcionalização fornece um aparato teórico-metodológico que permite capturar as diferenças sutis de usos pragmático-discursivos empregados pelos usuários da língua em diferentes situações comunicativas. Com isso, o reconhecimento de categorias discretas reside na ênfase no discurso/texto e nas funções em usos empíricos. Palavras-chave: Construcionalização. Língua Portuguesa. Preposições. Esquematicidade..

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) .

Integrantes: Marcos Luiz Wiedemer – Coordenador / Lucas Diego Oliveira Serafim Rodrigues – Integrante / Luanda da Silva Gustavo – Integrante / Fábio Rodrigo Gomes da Costa – Integrante / Joyce Guimarães Leite – Integrante.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa. 


Tharlles Lopes Gervasio (CPII)

Título:  a construção correlata aditiva: um estudo cognitivo-funcional 

Descrição: Nesta pesquisa, que pode ser compreendida como continuidade de uma agenda de pesquisas que inclui estudos desenvolvidos no mestrado (GERVASIO, 2016) e no doutorado (GERVASIO, 2019) a respeito da construção correlata aditiva, pretende-se investigar as características da construção em questão com o padrão “não só… mas também”, aplicada ao discurso como articulador sintático de adição distribuído em forma de par. A construção correlata aditiva, a qual apresenta, ainda, certa nuance de quebra de expectativa, tem seu emprego bastante frequente em textos de caráter expositivo-argumentativo. A fundamentação teórica do estudo está balizada nos conceitos apresentados pela Linguística Funcional Centrada no Uso, a qual defende a ideia de que a gramática de uma língua é moldada por seu uso (BYBEE, 2010; TRAUGOTT; TROUSDALE, 2013), isto é, inovações surgem na linguagem por meio da interação entre usuários. Busca-se, ainda, no desenvolvimento desta pesquisa de caráter quali-quantitativo, observar os impactos sintático-semânticos, bem como os discursivo-pragmáticos evidenciados pelo emprego da construção em pauta. O trabalho será desenvolvido em perspectiva sincrônica a partir de registros escritos do Português do Brasil em uso retirados dos editoriais das páginas virtuais de duas revistas de grande circulação nacional.

 

Skip to content